Willian Fernandes

Desenvolvimento Web com Python, SQLObject e PSE – Parte 2

Comente »

Continuando o post anterior, vamos agora instalar e configurar nosso ambiente para começar o desenvolvimento com Python, SQLObject e PSE.

Vou assumir que você utiliza Ubuntu, ou qualquer outra distribuição Linux baseada no Debian. Caso você utilize outro Sistema Operacional, verifique na página oficial dos programas (veja no post anterior) como instalar cada um deles.

O Elcio publicou um post explicando, detalhadamente, como instalar o apache2, o mod_python e o PSE na versão 7.10 do Ubuntu, incluindo uma correção necessária para essa versão do Ubuntu.

Após executar os passos descritos pelo Elcio, falta apenas instalar o SQLObject:

sudo apt-get install python-sqlobject
[ATUALIZADO] Seguindo a dica do Elcio:
sudo apt-get install python-mysqldb python-setuptools
sudo easy_install sqlobject

Tudo instalado e configurado? Ok, agora vamos entender um pouco o funcionamento do PSE para depois desenvolvermos algo funcional.

O PSE trabalha com arquivos na extensão .pt, então vamos fazer um teste criando um arquivo chamado hello_world.pt no diretório do apache (no Ubuntu esse diretório fica em /var/www):

<?="Hello World"?>

As tags <? e ?> indicam a abertura e o fechamento de código Python e tags especiais do PSE, que veremos mais adiante.

Execute no navegador: http://localhost/hello_world.pt.

Vamos alterar agora nosso arquivo para integrar código Python com o PSE gerado:

hello_world.pt

<?= msg ?>

hello_world.py

import datetime
msg = "Hello Word<br>Hoje é %s" % datetime.date.today().strftime("%d/%m/%Y")

Execute novamente no navegador: http://localhost/hello_world.pt.

Perceba que escrevemos código Python normalmente e que o arquivo hello_world.pt identificou a variável msg e escreveu seu conteúdo na tela. Isso acontece porque o PSE integra automaticamente arquivos que tenham o mesmo nome, ou seja, ele sempre executara hello_world.py junto com hello_world.pt.

No próximo post mostrarei como trabalhar com includes no PSE e formulários. Prometo que os próximos posts não demorarão tanto quanto este. ;)

5 comentários para "Desenvolvimento Web com Python, SQLObject e PSE – Parte 2"

  1. # DGmike disse:
    19/12/2007 às 07:14:24

    Interessante,

    eu assisti no CodeShow onde vocês usaram o python para fazer o milksark, achei uma linguagem muito simples e até gostosa de aprender. O interessante é que na época eu estava aprendendo o padrão MVC para definir um modo de trabalho.

    Este estilo me confundi a cuca quando voltei para minha cidade. Por que? Porque não sabia o que era MVC direito e vcs mostraram um padrão diferente, onde é rodado duas páginas. Tudo bem que isto abriu minha mente e entendi o que era VC (View e Control) e decidi fazer meu próprio framework.

    A peimeira versão dele era igual ao PSE, rodando primeiro o que chamei de MODEL (mas é controler) e em seguida o VIEW. Em pastas diferentes pelo nome, mas arquivos com o mesmo nome.

    Hoje ele trabalha com o MODEL também depois eu posto no meu blog como ele funciona. Mas, o importante é que ele continua chamando o CONTROLADOR e a VISÃO juntos, apenas encontrando arquivos com o mesmo nome (em pastas diferentes: CONTROLADOR e VISAO). Isto ajuda bastante em projetos simples onde definimos um “template” (dobrainha HTML e CSS) e aplicamos apenas o conteudo. Porque para projetos simples (e até alguns mais complexos) não precisamos da gama de coisas que um framework como o CakePHP ou o CodeIgniter oferece.

    Pra que usar $load->view (‘nome_nome_do_arquivo’[, $variaveis_que_usara][, $escapa_ou_nao_no_browser]); se o sistema pode fazer isso por mim automaticamente?

    Ah, o framework é em PHP, afinal… ainda é a linguagem que domino melhor.

    Outra coisa interessante na linguagem é que o começo do script e o fim dele são parecidos com a linguagem PHP, . A minha pergunta é, existe uma outra forma mais complexa, assim como o php que pode usar estes tipos:

    (mais recomendado)

    Ah, o php também trabalha com este shortTag

    Pergunto isso para poder definir um padrão a minha própria linguagem quando estiver entrando no phyton e não começar a trocar as bolas. :D

  2. # Elcio disse:
    19/12/2007 às 10:18:45

    Eu tenho preferido trabalhar com a última versão do SQLObject. Isso porque nas diferentes versões do Ubuntu e do Debian há versões diferentes do SQLObject. E o código construído para a 0.7.x costuma dar problemas na 0.9.x e etc. Para baixar direto do pypi, uso:


    sudo apt-get install python-mysqldb setuptools
    sudo easy_install sqlobject

    Para mais informações sobre o setuptools, veja: http://peak.telecommunity.com/DevCenter/EasyInstall

  3. # roger disse:
    21/12/2007 às 08:54:45

    Parabens pela iniciativa. Seria bem interessante um passo a passo mostrando como fazer um sistema completo, os novatos iriam agradecer :-D

    Abraço

  4. 21/12/2007 às 14:06:33

    roger,
    continue acompanhando a série pois, logo mais, desenvolveremos uma aplicação utilizando Python com PSE e SQLObject.

    Aguarde!!! ;)

  5. 21/12/2007 às 18:50:15

    @Elcio:
    O pacote correto é python-setuptools, e não setuptools, certo?

Deixe um comentário

*

(obrigatório)Não é aceito código HTML: adicione-o no pastie.org e poste apenas o link.