Willian Fernandes

Retornando o último número (script JavaScript)

Comente »

O DGmike publicou o post Retornando o último número (script PHP), o Elcio mostrou a visão dele em Retornando o último número (script Python) e resolvi fazer o mesmo em JavaScript[bb]:

function ultimoNumero(str) {
    return str.match(/\d+/g).pop();
}

[UPDATE]

Uma simples correção para quando não for passado uma string e para quando a string for vazio ou não tiver números:

function ultimoNumero(str) {
    try {
        return str.match(/\d+/g).pop();
    } catch(e) {
        return '';
    }
}

Muito simples, não?

Desenvolvimento Web com Python, SQLObject e PSE – Parte 1

Comente »

Já faz um tempo que estou ensaiando para escrever sobre como desenvolvemos aplicações web[bb] lá na Visie. Nós utilizamos Python porque amamos essa linguagem e achamos uma dupla excelente para auxiliar no desenvolvimento Web. Estou falando do PSE e do SQLObject.

Existem muitas alternativas que permitem a criação de aplicações web com Python, mas a que irei apresentar nessa série de artigos é a que prefiro.

Primeiro explicarei do que se trata cada ingrediente que utilizaremos e depois como instalá-los, configurá-los e como utilizá-los.

Python
Uma linguagem dinâmica, interativa e orientada a objetos. Diferente de linguagens como o PHP[bb], Python possui tipagem forte, mas não necessita de declarações de variáveis. É uma linguagem interpretada e não compilada, como JAVA[bb] e DotNet[bb].

falei sobre Python anteriormente, citando exemplos comparativos com PHP. Mas se você ainda não conhece a linguagem e quiser aprender sobre ela, segue abaixo uma lista de sites que recomendo:

SQLObject
Trata-se de uma biblioteca de mapeamento objeto-relacional[bb] escrita em Python.
O objetivo do SQLObject é o mesmo do Hibernate[bb] para JAVA e do nHibernate para DotNet: permitir que as tabelas de um banco de dados sejam mapeadas e utilizadas como objetos dentro do programa.

Felizmente, o SQLObject possui uma documentação completa disponibilizada online.

PSE
É um framework escrito em Python que permite a publicação de páginas na web. Necessita do Apache e do mod_python instalados e configurados para funcionar.
Seu funcionamento é parecido com o Framework SmartyTemplate, feito para PHP. Mas ele vai muito além, pois nos permite: efetuar requisições de dados enviados por formulários (POST) e de QueryStrings (GET), a criação de Sessões e Cookies, a criação de tags customizadas (Custom Tags), a recuperação do IP do usuário, etc.

Maiores informações podem ser encontradas no site oficial e no manual.

 

Após apresentar os ingredientes necessários para a utilização do Python no desenvolvimento web, mostrarei como instalar e configurar todos os ingredientes para podermos colocar a mão na massa.
Para este post não ficar muito extenso, publicarei a instalação e a configuração em um próximo post.

Twitter – Minhas Impressões

Comente »

Muita gente já falou sobre o Twitter então acho que não preciso explicar o que ele é e como funciona. Até por que esse não é o foco desse post.

Lembro que em 2005, quando ainda trabalhava em São José dos Campos, ficava adimirado em ler blogs sobre Padrões Web[bb], Produtividade Web[bb], Open Source[bb] e etc.

O que mais me animava era quando eu tinha uma dúvida e mandava um e-mail para os donos desses blogs e eles respondiam com a maior boa vontade do mundo, falavam de uma forma como se fossemos amigos. Sim, claro, afinal eu fazia (e faço) parte da audiência dos seus blogs e é interessante para ele me tratar bem.

Faz alguns meses que conheci o Twitter e o mais engraçado foi que o conheci através de uma crítica do Bruno Torres. Tudo bem que hoje ele “se converteu” e é uma das pessoas que eu mais vejo escrever no Twitter.

Bom, essas pessoas famosas possuem várias pessoas que a estão seguindo pelo Twitter e eu? Bom, eu tenho algumas dezenas…rs Mas o que acho mais interessante no Twitter é poder acompanhar o dia-a-dia de quem antes eu somente acompanhava um post ou outro por semana.

Esse negócio de responder “O que você está fazendo agora?” fez com que as pessoas ficassem mais próximas, mesmo as que não se conhecem.

É verdade que você pode “seguir” uma pessoa que não te “segue”, mas e daí? Você fica sabendo tudo o que ela faz, o que ela lê, o que ela indica, etc. Você consegue até ser chamado para um barzinho, fazer uma happy hour com pessoas do twitter.

Enfim, não sei até quando essas onda vai durar, mas está sendo uma experiência muito interessante.

Mais leitura sobre o Twitter:

GeoBlogs Brasil > Divulgando

Comente »

O Mauro Amaral (CarreiraSolo.org e Contém Conteúdo) está montando uma lista de endereços de blogs do brasil, é o GeoBlogs Brasil.

O serviço utiliza a API do Google Maps para “alfinetar” no mapa os endereços dos blogs espalhados pelo nosso país. Para cadastrar o seu blog é simples, basta acessar o post do Mauro e deixar um comentário com seus dados residenciais.

Vai ser interessante quando o mapa estiver lotado de alfinetes…rs